CO-DEPENDÊNCIA

25/07/2013 02:02

A co-dependência é causada pela doença da dependência química e outras situações. É de extrema importância que a família seja tratada enquanto o adicto esta em recuperação. É uma doença emocional e psicológica que pode afetar o físico e o espiritual dependendo do grau de envolvimento com o ente querido envolvido com drogas e/ou álcool.

            Durante a adicção ativa do dependente, o co-dependente vai se envolvendo com o problema e passa a viver muito mais esse problema do que suas próprias vidas. Vejamos algumas dessas situações:

 

Ø      Vivem em função do outro, esquecem de si mesmos.

Ø      Desesperam-se e se tornam apavorados.

Ø      Vivem angustiados, preocupados e ansiosos.

Ø      Desleixos com a aparência, maltratados.

Ø      Depressivos, com pensamentos confusos e desiludidos.

Ø      Não sabem ajudar, mesmo que queiram. Acabam tendo atitudes absurdas.

Ø      Dão dinheiro para o dependente usar sua substância de preferência para que não roubem.

Ø      Permitem o uso de substâncias dentro de casa para que não corram riscos na rua.

Ø      Sujeitam-se a ir atrás do adicto em bocas de drogas, independente do horário, correndo grandes riscos.

Ø      Perdoam infinitamente as insanidades do adicto na esperança que ele melhore.

Ø      Se deixam ser manipulados pelos adictos frequentemente por já não saber mais o que fazer, perdem a esperança.

Ø      Escondem seus próprios erros, projetando a culpa de diversas situações no adicto, pois é ele que usa drogas ou bebe, então ele que esta errado.

Ø      Nega que tenha algum descontrole emocional e/ou psicológico.

Ø      Quer aparentar sempre forte, mesmo que por dentro esteja fragilizado (a).

 

Estes são alguns dos sintomas de co-dependência, mas é importante lembrar que varia de pessoa para pessoa. Portanto é mais que conveniente, é necessário um tratamento para que voltem a viver suas próprias vidas e deixem que as escolhas que o adicto faz afetem só a eles mesmos, sendo mais exigentes, menos permissivos, mais racionais e acima de tudo tendo um profundo amor próprio. Ninguém consegue dar o que não tem.

 

ü      Como podemos dar amor, carinho e proteção se não temos para nós mesmos?

ü      Como exigimos respeito se não nos respeitarmos?

ü      Como ajudar um adicto, cedendo as suas manipulações e articulações?

ü      Como ajudar sem saber falar “NÃO”?

ü      Como se contentar em apenas dizer “Ele não quer! Ele tem que querer!”